quarta-feira, 17 de setembro de 2008

Albert Camus

Eu aprendi a contentar-me com a simpatia. Encontra-se mais facilmente e, depois, não nos impõe nenhum compromisso. «Creia na minha simpatia», no discurso interior precede imediatamente «e agora ocupemo-nos de outra coisa». É um sentimento de presidente de Conselho: obtém-se muito barato, depois das catástrofes. A amizade é menos simples. A sua aquisição é longa e difícil, mas, quando se obtém, já não há meio de nos desembaraçarmos dela, temos de fazer frente.

Albert Camus, in 'A Queda'

1 comentário:

vida de vidro disse...

Eu gosto mais da amizade... mesmo difícil. E deste homem, sim.
Eh pá, tens aí para baixo uns assuntos muito jeitosos!! :)**